domingo, julho 04, 2010

ATUAIS NECESSIDADES DAS REGIÕES ATINGIDAS PELAS CHEIAS

Irmãos, após quinze dias do ocorrido, temos nos preocupado em agir no presente atendendo as necessidades dos desabrigados. Acreditamos que as nossas ações necessitam ser em três etapas: curto, médio e longo prazo.

Ações em curto prazo. São as chamadas ações emergências e urgentíssimas. Ainda estamos vivendo esse momento. Há necessidade de donativos, principalmente gêneros de primeira necessidade. Deve-se dar ênfase a arrecadação de alimentos, água, produtos de higiene pessoal e produtos de limpeza. Estes produtos são rapidamente consumidos e necessitam ser repostos periodicamente, pois todos necessitaram de três refeições por dia; todos precisaram de asseio diariamente.

No primeiro momento as doações de roupa e sapatos foram imprescindíveis, porém estas já são contabilizadas em abundância e por serem de consumo duradouro, se multiplicam nos depósitos da defesa civil, nos quartéis e nas igrejas, dificultando sua armazenagem em grandes proporções.

No quesito roupa, sugerimos que as doações sejam de peças íntimas, estas sim serão muito úteis nesse momento. Cuecas, calcinhas, sutiens, meias, etc., são artigos de extrema necessidade.

Ações em médio prazo: São as chamadas ações complementares e têm caráter de manutenção e realimentação aos necessitados, além da busca por suprir as necessidades médicas, psicológicas e espirituais. Não que essa última necessidade não tenha sido feita no primeiro momento, mas que ela deve ser ampliada.

As caravanas da solidariedade que serão empreendidas a estas regiões terão um papel fundamental, pois como sabemos, sempre após essas enchentes e catástrofes, surgem algumas doenças que precisam ser tratadas imediatamente, para que sejam evitadas epidemias. Em depoimento ao Rev. Jaed Vasconcelos, uma irmã assim se expressou: “Pastor, cada vez que fecho os olhos, ouço o barulho das águas chegando a minha casa. Foi horrível”. Pessoas como essas necessitam, portanto, de apóio médico, psicológico e pastoral.

Neste quesito a SBB, através do projeto: Luz do Nordeste tem dado excelente apóio aos médicos, psicólogos e pastores que têm atuado no auxílio aos atingidos. Concomitantemente, a entrega de donativos materiais, donativos espirituais são entregues e isso alivia em muito o sofrimento do povo, que quebrantado, ouve a pregação do Evangelho.

Outro destaque que faço, diz respeito à equipe de voluntários da AME (Associação Missão Esperança), tanto em Alagoas quanto em Pernambuco. Essa equipe formada por: pastores, missionários, médicos, enfermeiras, psicólogos, realizam um trabalho digno de destaque. Não pouparam esforços, nem dinheiro. Viajaram de várias partes do Brasil com recursos próprios, trouxeram doações em dinheiro, para ajudar na compra de colchões, alimentos, remédios, etc., isso para não falar na cozinha de campanha que montaram em Palmares, onde faziam alimentos e através de quentinhas, distribuíam com a população carente.

Ações em longo prazo: São as chamadas ações suplementares, duradoras e as mais marcantes. Enquanto a população participa em larga escala das ações em curto prazo; em escala razoável nas ações de médio prazo; participa muito pouco das ações em longo prazo. Isso acontece a diversos fatores, que não é desejo nosso abordar nesse artigo, mas destaco que entre outras coisas a acomodação a situação tende a desmobilizar a ação da população de colaboradores.

É nesse estágio que a igreja se envolve na reposição das perdas matérias dos irmãos e da própria igreja. O trabalho nessa etapa é igualmente árduo e dispendioso. Há necessidade de reconstruir o templo, adquirir seus utensílios, bancada, som, etc. Há necessidade de reconstruir, ou pelo menos ajudar na reconstrução da casa dos irmãos (em alguns casos, que inclusive pode envolver a própria igreja, talvez haja necessidade de mudança do local, procurando-se um local mais alto e mais seguro para essa reconstrução). Há necessidade de ajudarmos na aquisição de móveis, eletros-domésticos, utensílios para o lar, etc. Em suma, há um grande trabalho a ser feito.

O Projeto Repartir, em seu blog, que pode ser acessado a partir do endereço eletrônico: www.repartir-j1512.blogspot.com, já disponibiliza formulários para participação nesses projetos. É necessário participação de todos. Se Monteiro Lobato disse que “um pais se faz com homens e livros”, quero parafraseá-lo afirmando que “uma reconstrução se faz com homens e mulheres voluntários e suas ferramentas, sendo utilizadas para a honra e a glória de Deus”.

Nossa palavra final nessa postagem é no sentido de buscarmos o envolvimento maior nesse trabalho, que ao contrário do que muita gente pensa, está apenas começando. Que Deus nos abençoe!

Em Cristo Jesus,


Rev. Marcos André Marques

Um comentário:

Rev. César Pereira disse...

Bom dia, Rev. Marcos André,


Muito bom que você faça essa atualização quase diária nos proporcionando notícias atualizadas da situação dos irmãos. Tenho feito um esforço para que os colegas visitem o seu blog. Tem sido o melhor neste momento.

Fico muito feliz de ver o seu empenho. Estamos juntos. Estamos orando. Esta semana o Rev. Daniel Alves, presidente od PRGS, conclamou as igrejas do estado a orar, jejuar e levantar ofertas.

Louvado seja o SENHOR.

LinkWithin